Cursos

Textos Complementares

Abaixo estão alguns textos complementares sobre assuntos concernentes aos cursos que o Prof. Eduardo Navarro ministra na USP.

- Trecho da gramática tupi do Pe. Anchieta.

 

TEXTOS COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE TUPI I E II

 

CLASTRES, Pierre, A sociedade contra o Estado. São Paulo, Editora Cosac Naify, 2005.

FUNARI, Pedro Paulo et al., A pré-história do Brasil. São Paulo, Ed. Contexto, 2007

GRUPIONI, Luís D. B., Índios no Brasil. São Paulo, Editora Global, 2011

MELATTI, Júlio Cézar (Amor e casamento entre os índios do Brasil). São Paulo, Ed. HUCITEC, 1993

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Os estudos de tupi antigo e a crítica estruturalista

NAVARRO, Eduardo de Almeida. A ORIGEM INDIANA DE UM MITO DO BRASIL COLONIAL

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Os falantes do tupi antigo

NAVARRO, Eduardo de Almeida. A terra sem mal, o paraíso tupi-guaraní.

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Vida e obra de José de Anchieta

VIEIRA, Antonio. Sermão do Espírito Santo. Sermões, 2000.

 

TEXTOS COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE TUPI III E IV

Glossário Sertanejo

BARROS, Cândida. O uso do tupi na Capitania de São Paulo no século XVII - Indícios da vida de um jesuíta "língua." In NOLL, Volker (org). O Tupi e o português no Brasil, Editora Contexto, 2010.

EDELWEISS, Frederico, O diretório de 1758: Proibição oficial do uso da língua geral. In Estudos Tupis e Tupi-Guaranis, Livraria Brasiliana, Rio de Janeiro, 1969, pp. 18-19; pp. 36-37

FACÓ, Rui. Cangaceiros e fanáticos: gênese e lutas. Ed. Civilização Brasileira, 1972.A grande seca de 1877-1879 no Nordeste: a língua portuguêsa suplanta o nheengatu na Amazômia

FOIRN, Instituto Sócio-Ambiental, Povos Indígenas do Rio Negro Alguns aspéctos da vegetação amazônica e do alto e médio Rio Negro.

FOIRN / Instituto Sócio-Ambiental. Os rios da Amazônia: rios de água branca, rios de água clara e rios de água preta, Os povos indígenas do Rio Negro.

FREIRE, José Ribamar Bessa. Rio Babel: a história das línguas na Amazônia. EdUERJ, 2004. Rio Babel - A história das línguas da Amazônia.

GRENAND, Françoise; Língua Geral, língua oficial da Amazônia no século XVII. In Pequeno dicionário da língua geral. Secretaria da Educação e Cultura, Coordenadoria de Assuntos Educacionais, Núcleo de Recursos Tecnológicos, 1989.

LEITE, Fabiana Raquel. A Língua Geral Paulista e o "Vocabulário Elementar da Língua Geral Brasílica." Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem. Campinas, 2013.

NAVARRO, Eduardo de AlmeidaO último refúgio da Língua Geral no Brasil

NAVARRO, Eduardo de Almeida. A Amazônia no século XVI e na primeira metade do século XVII

REIS, Gustavo.  Morais Rego, a Cabanagem e o enfraquecimento da língua geral. In A Cabanagem. Manaus, Edições Governo do Estado do Amazonas, 1965 Século XIX na Amazônia.

A penetração portuguesa do médio e alto Rio Negro

O conde italiano Ermanno Estradelli: um mestre do nheengatu no século XX